Sabemos olhar!

18 de out de 2010

GRATIDÃO

Sua origem latim “gratia”, ficar grato significa ser agraciado, é uma atitude pródiga “retributiva” e altruísta, numa essência de crescimento ao outro. A gratidão fortalece todo e qualquer vínculo, no entanto, a debilitante ingratidão enfraquece vínculos.

Reconhecer os benefícios recebidos, com gestos simples em atenção, na memória é impresso o que o outro fez por nós, num dado momento crítico e necessário da vida.

Nesta reflexão, venho recordar a satisfação que alguém sentiu em receber de mim toda atenção, e demonstrei que minha atenção - ali aplicada - era por gratidão, recordei os fatos, localizando nossas vidas num passado, onde estivemos um dia "lado a lado".

Nossa conversa foi bem alicerçada, afirmei que - O Amor é o sentimento mais excelente que um homem imperfeito pode sentir, e é através desse sentir, que subjetivamos a Gratidão.

Essa capacidade de reconhecer um benefício - a gratidão fortalece vínculos eternos, há quem um dia esteve por dependente do servir e da espera do outro e doação.

A GRATIDÃO é uma dessas especiarias, entregues aos “reis” mais importantes que encontramos no caminho da desesperança, nas nações conflituosas que assolam copiosamente nossa alma.

Ser grato requer princípios, valores não colecionados e sem divisões, é simplesmente ser subordinado ao respeito, aguardando o momento da retribuição, e entregar a porção.

Os murmuradores não tem memória, e não justifica seu egoísmo, isentam-se da responsabilidade em repassar aquilo que foi dado graciosamente por Deus, esse é o pressuposto, existem algumas corrosões de caráter, possivelmente não tem nenhuma ligação para reconhecer os danos causados pela ingratidão.

Os males da ingratidão surgem como pretextos em desabafos, mas na verdade são atitudes lamentáveis, ou seja, passos largos para neutralizar uma ação melhor.

Precisamos dispor em demonstrar nossa gratidão, pelas pessoas que circulam nossas vidas em “gratitudine”.

Um dos sentimentos mais nobres, pois, ficamos de prontidão há quem um dia nos serviu com alegria, para fazer nossa parte no indispensável do outro, e reconhecer seu próprio bem estar, e compartilhar, assim como um dia abocanhamos nossa fatia.

Trazer à memória absolutamente o momento crítico e observar a importância do servir, é como vislumbrar uma espera, e viver atendendo o melhor na vida do OUTRO quando assim precisar, não como recompensas, barganhas ou dívidas a serem pagas, mas pelo prazer exorável em retribuir uma simples ação.

É viver na iminência de ser chamado, e se fazer participante em meio ao sofrimento alheio, não com palavras apenas, mas atitudes no conjunto da ação.

O exercício em nós - A GRATIDÃO - é imprescindível. Na falta dela nos tornamos vazios, sombrios, cinzentos e martelam nossas consciências egoístas e servidas, sem generosidade alguma, passamos a olhar o outro como um SER presente e não vivente.

Sermos gratos inebria os nossos sentimentos e restaura as mais complexas relações.


"Entrai pelas portas dele com gratidão, e em seus átrios com louvor; louvai-o, e bendizei o seu nome. (Salmos 100:4)
"

2 comentários:

  1. Keyla, paz e parabéns pelo seu blog. Ótima reflexão.

    Att.,
    http://wwwwteologiavivaeeficaz.blogspot.com

    Prof° Netto, F.A.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Prof. Netto, PAZ NO SEU LAR!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...