Sabemos olhar!

5 de mai de 2009

PERFUME


Silêncio interrompido...

- Você já usou perfume hoje?

Curiosamente fixo o olhar em quem interrompe o marasmo e indaga.

No iminente contato os olhos se espelham, como se um refletisse o imo do outro.

Sorrisos atrevidos que arrostam a face, esboçam num rosto antes tímido, definhado e desalentado, que se toma por deleite, contentamento e delícias.

Um minúsculo frasco é retirado do interior de uma bolsa de mulher, bolsa de tantos segredos e incomunicáveis reservas, assim é o mundo feminino não existe domínio e nem conquistas, somente esforços contrariados.

Pulsos rendidos em direção as gotas, e no ímpeto foram borrifadas, recebendo a fragrância rara, a rendição foi instigada na curiosidade do quê o cheiro inspira.

Não por vaidade, mas o perfume foi lançado para ser sentido de forma que trouxesse a essência da vida, não limitou-se aos pulsos por estratégias, mas perfumou o corpo e a mente abrindo um alvorecer, dando identidade ao ambiente e percebível por outros que sentiam o cheiro satisfatoriamente.

Recordações exalam dos pulsos, e incitam lembranças da infância que no despertar das madrugadas era certa a visão de um braço materno, cheiro de amparo, privilégio, e ares de proteção, e na manhã seguinte após um carecente café modesto, organizava orgulhosamente seu material escolar numa bolsa de plástico e caminhava rumo a uma história nova.

Perfumes geralmente provocam posturas, charmes, sofisticações e eternizam momentos precisos na composição sinfônica da vida.

Recordar esses momentos, através de uma pergunta despretensiosa e no aspergir uma fragrância, faz esboçar pensamento singular.

Usar perfume é um requinte uma quinta-essência, usar perfume exige critérios, pois ele fomentará eternamente uma intensa lembrança.

E você, já usou perfume hoje?

"Já perfumei o meu leito com mirra, aloés e canela". Prov. 7:17

4 de mai de 2009

A GRAVATA


Segredos guardados, inconcebíveis até.

Um segredo que faz alguém rabiscar sem formas o chão por horas.

Um olhar experiente analisa a cena e se aproxima...
Vê-se diante de uma descoberta, inclina-se e implora a resposta do motivo profundamente cabisbaixo...

Um olhar inocente analisa a pergunta e se permite...
Responde então, exemplificando:
- A gravata! Desejei uma gravata, a qual esteve na gaveta por muitos anos, um desejo veemente expressava, porém, todos ignoravam com apenas um “dá de ombros” e na casualidade abro a gaveta, e vejo a tão sonhada gravata. Alegro-me, alegria provisória.
Coloco-a no pescoço, vem alguém e a leva por astúcia.
"Esse é o motivo dos meus rabiscos e do meu silêncio em cócoras".


O SENHOR é a minha força, e o meu cântico; ele me foi por salvação; este é o meu Deus, portanto lhe farei uma habitação; ele é o Deus de meu pai, por isso o exaltarei. (Êxodo 15:2)

30 de abr de 2009

RECOMENDO O MEU IRMÃO "MILAGRO"


Neste link abaixo, encontraremos preciosidades, conferimos?!

23 de abr de 2009

PACIÊNCIA...

Muitas vezes aplicamos essa virtude nos momentos mais delicados na vida, são pedras colocadas criteriosamente para obtermos os melhores resultados, é sossegar naquilo que se espera com perseverança.
Esperar com paciência é se deleitar na segurança de que Deus está no controle das nossas ações, testemunhamos tal demora, é também pensar que as ações são por dependentes e isso muito nos honra.
Sem murmúrio “lamentação a meia voz”, imperturbável e sereno, fortalece e aquece dentro de nós a certeza do esperado.
Em diligências, colocaremos tudo no lugar, com toques inocentes, na ingenuidade de uma ação, mas na prudência madura de toda uma vida que espera.

E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência. E a paciência a experiência, e a experiência a esperança. (Romanos 5:3-4)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...